Correio Sudoeste - Mais uma vez: O genial Mauricio de Sousa

Guaxupé, 11 de dezembro de 2019
 
Publicidades

Mais uma vez: O genial Mauricio de Sousa

Publicado domingo, 11 de agosto de 2019





Depois de dois anos da primeira entrevista, nosso articulista, o psicólogo e professor Rodrigo Fernando Ribeiro, volta a entrevistar o cartunista mais amado do Brasil, o criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa! Mauricio está completando 60 anos de carreira e, como todos já sabem, a Turma da Mônica é conhecida pelo mundo inteiro, e da criança ao idoso. Dessa vez, a entrevista foi feita para falar especialmente da superprodução de cinema, o encantador filme Turma da Mônica – Laços, que em pouco menos de dois meses de exibição, ultrapassou dois milhões de espectadores no Brasil. Confira, na íntegra, a mais uma bela e inspiradora matéria de jornal.

 

1) Mauricio, de Mogi das Cruzes para São Paulo, e de São Paulo para o mundo. Das tirinhas de jornal aos Gibis, dos Gibis aos primeiros filmes; dos primeiros filmes ao YouTube. Teatro, Parques Temáticos, parceria com Escolas e Empresas. Novos estúdios, centenas de empregos diretos. E agora, uma superprodução cinematográfica, com milhões de espectadores: Turma da Mônica - Laços. A quem, Mauricio, você atribui seu dom artístico, literário e empresarial? E a quem, Mauricio, você gostaria de manifestar sua gratidão eterna por poder levar tanta alegria e emoção a tanta gente do mundo inteiro?

Resposta: Fui aprendendo com a vida. Tinha que ser artista e meu empresário ao mesmo tempo. Meus pais, poetas, artistas e incentivadores de minha leitura desde bem pequeno foram importantes nesse aprendizado. Minha gratidão eterna e a minha medalha no peito é por meus leitores que me acompanham por gerações nesses 60 anos de vida artística. Maior prêmio que esse não há.

 

2) Boa parte do filme Turma da Mônica - Laços foi gravada na turística e bela cidade mineira de Poços de Caldas. Você chegou a dizer que, a praça central, ao redor do Palace Cassino e do Thermas Antônio Carlos se tornou, no seu universo criativo, algo que você imaginou como sendo o próprio Bairro do Limoeiro, território onde vive a Turma da Mônica. Você já foi a Poços de Caldas? Você considera Poços uma surpresa divina, um carinho, uma ternura, um presente de Deus para o filme?

Resposta: ... Tudo isso e mais outras coisas boas. Uma delas é a lembrança da minha lua de mel em Poços de Caldas lá do ano de 1958.

 

3) Mauricio, em praticamente todas as entrevistas que você participa, costuma dizer que não pretende parar. E você diz isso com comovente sorriso sincero no rosto! Seu olhar brilha! Você de fato nos mostra não apenas credibilidade, mas fundamentalmente entusiasmo... Sua alegria alegra multidões. Seu sorriso faz sorrir multidões. Sua emoção ao ver pela primeira vez o filme Turma da Mônica - Laços, uma emoção genuína gravada por um de seus filhos, fez milhões de pessoas se comoverem junto com você, e querer rapidamente assistir ao filme também. Você tem a exata dimensão, Mauricio, da sua importância para a transformação de muitas mentes e corações?

Resposta: Realmente, quando vi pela primeira, segunda e até terceira vez o filme “Laços” me emocionei e não consegui segurar meu choro ao lembrar que ia com meu pai ao cinema. E aí passa um filme mesmo, em nossa mente, nesses momentos. Creio que esse filme é sim uma lição de vida para toda a família. As crianças ficam atentas e os adultos deixam a criança que existe dentro deles sair e brincar pelo cinema. A produção ficou linda com uma direção segura e cheia de sentimentos do Daniel Rezende. Os atores mirins se transformaram nos personagens de tal forma que não vejo outros diferentes nessa interpretação. Mais do que transformar mentes e corações de pessoas, eu vivo esse processo comigo mesmo o tempo todo.  Assistam a LAÇOS que sairão do cinema mais leves e sorridentes.

 

4) Você se tornou um exímio observador de comportamento. Seus personagens surgiram, como você mesmo explica, olhando com atenção a conduta de seus familiares, de seus filhos e filhas, de alguns bons amigos de infância. Certa vez, você chegou a participar de uma entrevista, para a TV Estadão, no programa Mentalistas, com Camila Tuchlinski, falando do seu livro "Mauricio - a história que não está no gibi", ao lado do psicólogo Jacob Pinheiro Goldberg. Artista e psicanalista são atentos analistas do comportamento. Mauricio, que importância tem a Psicologia no seu trabalho?

Resposta: Eu não sou psicólogo, mas como todos desenhistas e inventores de histórias procuro retratar o mundo pela imaginação de uma criança. Também todos sabem que me inspiro em personagens reais para minhas criações. Filhos, parentes, amigos, todos são informações de pessoas que posso desenvolver através do lúdico nas historinhas. E tem dado certo nesse tempo todo. 

 

5) Você, Mauricio, consegue agradar da criança ao idoso. Mesmo você hoje, já com mais de oitenta anos de idade, com certeza ainda preserva os sonhos e as genialidades do menino que começou a sentir a importância da presença de uma ternura que cura... A ternura da Família. Aliás, como você mesmo diz, se não fosse o amor familiar presente, vivo e atuante na sua vida, talvez até tivesse desistido quando foi reprovado em desenho pela primeira vez, ao dar seus primeiros passos de jovem sincero e sonhador. Encerrando essa entrevista, o que tem a dizer, desejar, orientar ou pedir para que possa sempre existir em cada lar? 

Resposta: Que os pais sempre leiam livros JUNTO com seus filhos. Esse momento fica em nossas cabeças por toda a vida. E nunca deixe esquecida a criança que tem dentro de você. Assim a gente nunca envelhece de verdade.

Rodrigo Fernando Ribeiro
Psicólogo – CRP-04/26033 (Contato: 35 9 8875-5030)

 


COLUNISTA
Rodrigo Fernando Ribeiro
Psicólogo - CRP-04/26033
(Contato: 35 9 8875-5030)


Mais Artigos


 Publicidades

Correio Sudoeste - Todos os Direitos Reservados - Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo sem autorização prévia

Desenvolvido por Paulo Cesar