Polícia Civil indicia mãe por morte de bebê no Sul de Minas - Correio Sudoeste - De fato, o melhor Jornal | Guaxupé Mg

Guaxupé, 01 de julho de 2022


Publicidades

Polícia Civil indicia mãe por morte de bebê no Sul de Minas

Publicado quarta, 04 de maio de 2022





A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu, nessa segunda-feira (2/5), o inquérito instaurado para apurar as circunstâncias da morte de um bebê de 2 meses e 15 dias, ocorrida em julho de 2021, na cidade de Conceição da Aparecida, no Sul do estado. Em razão desse crime, a mãe da criança, de 22 anos, foi indiciada por maus-tratos com resultado morte, crime majorado em um terço pelo fato de a vítima ser menor de 14 anos.

As investigações iniciaram após a mãe da criança acionar a Polícia Militar informando que teria acordado e encontrado o filho sem vida. Na ocasião, a mulher alegou ter chegado em casa, na noite anterior, amamentado a criança e dormido. Ao despertar, verificou que a vítima não apresentava sinais vitais.

Durante as investigações, foram realizadas perícias, juntados documentos, efetuados levantamentos de campo e ouvidas testemunhas, trabalho essencial para entender a dinâmica dos fatos. Segundo exames periciais, o bebê apresentava desnutrição grave, tendo perdido cerca de 1 quilo desde o nascimento.

Profissionais da área de saúde confirmaram que a mãe do bebê não fez o pré-natal adequado, não levou o filho para acompanhamento pediátrico e não o alimentava de maneira correta. A carteira de vacinação revela ainda que a criança não havia tomado algumas vacinas.

De acordo com testemunhas, o bebê permanecia com outras pessoas durante o dia, sendo que a mãe só chegava do trabalho à noite, privando-o do leite materno durante muitas horas. Ainda segundo relatos, a mulher não procurou ajuda hospitalar, mesmo sendo informada de que no dia dos fatos o bebê havia chorado o dia inteiro.

A suspeita possui registros policiais por tráfico de drogas e roubo. O inquérito foi remetido à Justiça, com o devido indiciamento da suspeita, que responde em liberdade.

As investigações foram conduzidas pela Polícia Civil em Carmo do Rio Claro.

Ascom




Mais Regional


 Publicidades

Correio Sudoeste - Todos os Direitos Reservados - Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo sem autorização prévia

Desenvolvido por Paulo Cesar