CASOS DE SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRÉ SÃO RAROS E QUALQUER VACINA, OU MESMO INFECÇÕES, PODEM PROVOCÁ-LA - Correio Sudoeste - De fato, o melhor Jornal | Guaxupé Mg

Guaxupé, 27 de setembro de 2021


Publicidades

CASOS DE SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRÉ SÃO RAROS E QUALQUER VACINA, OU MESMO INFECÇÕES, PODEM PROVOCÁ-LA

Publicado segunda, 23 de agosto de 2021





Foi noticiado recentemente, pela Anvisa, a incidência de alguns casos da síndrome de Guillain-Barré (SGB), distúrbio neurológico autoimune, após a vacinação contra Covid-19 no Brasil e em outros países. Foram 34 notificações de casos suspeitos de SGB depois da vacinação com a AstraZeneca, Janssen e CoronaVac.

O alergologista e imunologista clínico do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e membro do Conselho da Sociedade Brasileira de Triagem Neonatal e Erros Inatos do Metabolismo (SBTEIM), Dr. Antonio Condino Neto reforça que qualquer vacina, ou mesmo infecção, pode complicar (raramente) a Síndrome de Guillan Barré.

“O erro do sistema imunológico que gera autoimunidade se volta contra o sistema nervoso causando uma disfunção geral, uma desautonomia podendo evoluir para a paralisia motora ou prejuízo para as funções do sistema nervoso autônomo”, comentou o imunologista da SBTEIM.

Entre os sintomas estão dormências, formigamentos, perda de força muscular e desregulação do sistema nervoso autônomo com oscilação na pressão arterial, na frequência cardíaca e respiratória.

O tratamento é feito à base de reposição de imunoglobominas em alta dose para neutralizar os autoanticorpos e evitar a desautonomia como parada respiratória e cardíaca, além de corticoides e imunossupressores, “existe um tempo para uso dos medicamentos até que o ataque de autoimunidade seja controlado”, finaliza o médico.




Mais Saúde


 Publicidades

Correio Sudoeste - Todos os Direitos Reservados - Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo sem autorização prévia

Desenvolvido por Paulo Cesar