GOVERNO DE MINAS ANUNCIA REALIZAÇÃO DO CONCURSO DE QUALIDADE DE CAFÉ DE 2020 - Correio Sudoeste - De fato, o melhor Jornal | Guaxupé Mg

Guaxupé, 30 de setembro de 2020


Publicidades

GOVERNO DE MINAS ANUNCIA REALIZAÇÃO DO CONCURSO DE QUALIDADE DE CAFÉ DE 2020

Publicado sexta, 10 de julho de 2020





Inscrições podem ser feitas até 8 de setembro

O governo de Minas Gerais anunciou a realização do 17º Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais, em 2020. O lançamento foi feito pelo vice-governador Paulo Brant, nesta quinta-feira (9/7), durante um seminário on-line sobre cafeicultura, promovido pela Emater-MG em parceria com o Conselho Nacional do Café (CNC). Também participaram do evento o presidente do CNC, Silas Brasileiro; a secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Ana Valentini; o presidente da Emater-MG, Gustavo Laterza; e dirigentes das principais cooperativas ligadas à produção de café de Minas Gerais e São Paulo. O tema do seminário foi “Funcafé e a colheita de 2020”.

Os produtores interessados em participar do concurso de café devem preencher a ficha de inscrição e entregar as amostras concorrentes nos escritórios locais da Emater-MG até o dia 8 de setembro. A solenidade de encerramento, com anúncio dos vencedores, será em dezembro. A participação é gratuita. O regulamento completo do concurso e a ficha de inscrição estão disponíveis no site da Emater-MG e podem ser acessados clicando aqui

“O concurso valoriza a qualidade e a diversificação do café mineiro. Ele também tem um caráter educativo. Aquilo que é desenvolvido no processo para a obtenção da qualidade, que caracteriza o concurso, é repassado, através dos extensionistas da Emater, para todos os produtores”, afirmou Paulo Brant.

Podem participar da competição produtores dos municípios mineiros, com amostras de café arábica, tipo 2 para melhor, colhidas neste ano. A lavoura de origem da amostra deve ser georreferenciada. O concurso tem duas categorias. A primeira é a Café Natural. Neste sistema, o café recém-colhido é levado para secar. A outra categoria é a do Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmucilado. Nestes tipos de café, após a lavagem, há uma separação dos frutos verdes e secos dos frutos maduros. Depois, eles passam por um descascador para só depois seguirem para secagem. No caso dos cafés despolpados e desmucilados, há ainda uma fase onde o produto passa por um tanque de fermentação.

A Emater-MG, vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa),  informa que, durante a realização das etapas do concurso,  todas as orientações das entidades de saúde sobre medidas de prevenção à Covid-19 serão seguidas e que, caso necessário, as datas poderão ser remanejadas por causa da pandemia.

O 17º Concurso de Qualidade dos Cafés será promovido pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Emater-MG e Seapa, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas e a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe).

Julgamento

Os cafés concorrentes irão passar por análises físicas e sensoriais feitas por uma comissão julgadora formada por, no mínimo, dez classificadores e degustadores de café. No processo de classificação das amostras,  será utilizada a metodologia da Associação de Cafés Especiais (SCA).

Serão analisados atributo como fragrância/aroma, sabor, acidez, corpo, uniformidade, ausência de defeitos, doçura, finalização, equilíbrio e avaliação global. A comissão julgadora fará a classificação das melhores amostras das duas categorias, de cada região cafeeira de Minas Gerais: Cerrado, Sul de Minas, Matas de Minas e Chapada de Minas. O produtor que  obtiver a maior pontuação final, independentemente de categoria, será considerado campeão estadual.

Em 2019, o campeão estadual foi o cafeicultor Paulo Gomes, do município de Espera Feliz, região das Matas de Minas. O concurso contou com 1.411 amostras inscritas. Os vencedores comercializaram seus lotes de café com ágio de preços.

Seminário 

O seminário “Funcafé e a colheita de 2020” fez parte das atividades do Termo de Cooperação Técnica firmado entre a Emater-MG e CNC, em maio deste ano, com objetivo de contribuir com extensionistas, pesquisadores, cooperativas e produtores para o desenvolvimento e o fortalecimento da produção sustentável da cafeicultura mineira e nacional. 

O encontro on-line promoveu um debate sobre a colheita do café em Minas Gerais, a importância do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para o setor, além de apresentar uma visão das cooperativas associadas ao CNC sobre temas relevantes para o atual momento da safra 2020.

O presidente da Emater-MG apresentou as ações realizadas pelos técnicos da empresa na área da cafeicultura e um panorama da situação da colheita no estado. Maior produtor do país, Minas Gerais deve colher entre 30,7 milhões e 32 milhões de sacas este ano. Gustavo Laterza também destacou a parceria da empresa com o CNC e com as cooperativas. “Esta parceria é importante para levar o conhecimento, as oportunidades e as políticas públicas para fomentar a atividade produtiva do café. Também fomentamos a cultura do associativismo e do cooperativismo junto aos produtores”, disse. 

O presidente do CNC fez uma apresentação sobre o Funcafé, que neste ano tem um orçamento de quase R$ 6 bilhões para investimento em pesquisa, custeio e ordenamento da oferta de café, além de apoio à indústria e à exportação. Ele afirmou que o acordo com o governo de Minas Gerais vai contribuir para a melhor gestão das propriedades do estado. “De um lado o conhecimento técnico da Emater para baixar custos, ser mais produtivo e ter mais qualidade. Do outro lado, os recursos disponíveis. Uma associação que dá muito certo”, afirmou Silas Brasileiro. 

A secretária Ana Valentini ressaltou o trabalho feito pelas instituições vinculadas à Seapa junto aos produtores de café. “É um trabalho que a Emater tem feito com brilhantismo. Também a Epamig,  com a pequisa que ajuda que o setor cresça e o IMA, que contribui muito com o produtor na certificação dos produtos”. 

O seminário, nesta quinta-feira, também contou com as participações do diretor-superintendente da Expocaccer, Simão Pedro de Lima; do diretor-secretário da Cocapec, Saulo Faleiros; do presidente da Cocatrel e da Central Coccamig, Marco Brito; do presidente da Cooxupé, Carlos Augusto de Melo e do presidente da Minasul, José Marcos Magalhães.

Cartilha

O seminário foi a segunda ação deste ano na parceria firmada entre a Emater-MG e o CNC. A primeira foi a elaboração de uma cartilha com orientações de prevenção ao coronavírus durante a colheita do café. O material traz recomendações a produtores e trabalhadores rurais para se prevenirem e evitarem a propagação da Covid-19, e permitir a colheita nos cafezais, sem impactar a saúde dos envolvidos. A cartilha pode ser acessada clicando aqui.




Mais Agropecuária


 Publicidades

Correio Sudoeste - Todos os Direitos Reservados - Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo sem autorização prévia

Desenvolvido por Paulo Cesar