DENÚNCIA DE SUPERFATURAMENTO NAS OBRAS DO TRATAMENTO DE ESGOTOS QUE ESTÃO PARALISADAS - Correio Sudoeste - De fato, o melhor Jornal | Guaxupé Mg

Guaxupé, 03 de agosto de 2020


Publicidades

DENÚNCIA DE SUPERFATURAMENTO NAS OBRAS DO TRATAMENTO DE ESGOTOS QUE ESTÃO PARALISADAS

Publicado quinta, 13 de fevereiro de 2020





O ex-secretário municipal de Desenvolvimento e Meio Ambiente, Mozart Faria, voltou a tecer críticas em relação a supostas irregularidades na implantação do sistema de tratamento de esgotos na cidade.

O pronunciamento aconteceu na última segunda-feira, 10, durante a realização da primeira sessão ordinária da Câmara Municipal.

Ele iniciou dizendo que sempre defendeu a criação de uma autarquia municipal para cuidar da distribuição de água potável e do serviço de tratamento de esgotos da cidade.

Declarou que o município conseguiu do Governo Federal uma verba, a fundo perdido, no valor aproximado de R$ 14,5 milhões, para implantação do sistema de tratamento de esgotos; que as obras teriam sido iniciadas, porém encontram-se paralisadas sem previsão de serem concluídas.

Segundo Mozart, a CGU-Controladoria Geral da União, teria feito uma inspeção nas obras já realizadas e dentre as supostas irregularidade encontradas estaria um suposto pagamento irregular, no valor de R$375.136,34, feito pela Prefeitura à empresa que executou as obras. Ele também denuncia que a Funasa, Fundação Nacional da Saúde, teria notificado o Município, em 15-02-2019, a devolver a importância de R$ 320.804,30 em virtude de um suposto “superfaturamento por antecipação de pagamento praticado para a Artec”. Ele ainda acrescenta “é lamentável que a Prefeitura pegue empréstimos do Governo Federal, perdendo recursos a fundo perdido”.

O ex-secretário alega que a grande preocupação mundial é a proteção do meio ambiente, conforme foi discutido recentemente no Fórum Mundial em Davos e que, infelizmente, em Guaxupé as autoridades não têm esta preocupação e que, supostamente, a Copasa estaria jogando diariamente cerca de 30 a 40 toneladas de esgoto sanitário in natura no Rio Guaxupé.

Também foi dito por ele que os municípios de Andradas, Iturama e São Sebastião do Paraíso teriam ajuizado ações para rescindir os respectivos contratos com a estatal mineira. Acrescentando, disse esperar que, em Guaxupé, não seja necessário esperar o resultado das eleições de outubro próximo para salvaguarda dos direitos dos guaxupeanos.

 

CEMITÉRIO

Ironizando Mozart declarou: agora temos a questão do necrochorume no Cemitério Alto da Colina, talvez seja necessário uma lei proibindo morrer em Guaxupé.




Mais Câmara


 Publicidades

Correio Sudoeste - Todos os Direitos Reservados - Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo sem autorização prévia

Desenvolvido por Paulo Cesar