Guaxupé, domingo, 24 de junho de 2018
Você está em: Notícias / Falecimentos / Nicolau Balbino Filho
sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Nicolau Balbino Filho

Após longa e penosa enfermidade, faleceu no último dia 12, aos 82 anos de idade, o oficial do Cartório do Registro de Imóveis e de Títulos e Documentos, da Comarca de Guaxupé, Nicolau Balbino Filho.
 
Nicolauzinho, como ele era mais conhecido, nasceu em Arceburgo, MG, em 19 de agosto de 1935, filho de Nicolau Balbino e de Guiomar de Barros Balbino. Era casado com Basília Amélia Marinho de Carvalho Balbino e deixa os filhos: Paulo de Carvalho Balbino, desembargador do TJMG, Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais; Marcos de Carvalho Balbino, Oficial do Registro Imobiliário de Extrema, MG; Moema de Carvalho Balbino Lucas, juíza de Direito em Belo Horizonte; além dos irmãos: Dr. José Laércio, Rafaela, Maria Laura e Mariazinha e o cunhado Mariberto Remédio.
 
Seu pai foi titular do Cartório do Registro Civil das Pessoas Naturais e do Tabelionato de Notas da cidade de Arceburgo. Em 16 de dezembro de 1942, já em Guaxupé, assume o Cartório do 1º Oficio do judicial e Notas, sucedendo ao Dr. André Cortez Granero, permanecendo no cargo até sua morte, em 13 de maio de 1976.
 
Após sua família transferir-se para Guaxupé, Nicolauzinho fez o curso primário no Grupo Escolar Barão de Guaxupé, o ginasial no hoje extinto Colégio São Luiz Gonzaga, o segundo grau no Colégio de Alfenas. Cursou Direito na Universidade Federal de Minas Gerais, bacharelando-se em 1960.
 
Nicolau Filho assumiu, interinamente, o cargo de Escrivão do Cartório do 1º Ofício no período compreendido entre 26 de maio e 13 de outubro de 1965.
 
Durante o Regime Militar, os presidentes das subseções da OAB, Ordem dos Advogados do Brasil, foram destituídos dos respectivos cargos. Dr. José Felipe da Silva encontrava-se à frente da subseção local desde 1963. Com a sua destituição, em 1973, Nicolau Filho assumiu como interventor, permanecendo até 1975; quando foi empossado o novo presidente, Antônio Costa Monteiro Júnior.
 
Após prestar concurso público, em 17-09-1965, foi nomeado titular do Cartório de Registro de Imóveis, por ato do então governador do Estado de Minas Gerais, José de Magalhães Pinto. Tomou posse em 15-10-1965.
 
Nicolau Filho era um profundo conhecedor do Direito, especializando-se na área de registros públicos, tendo publicado vários livros de natureza jurídica, inclusive um à respeito de registros de imóveis, já estando na sua 16ª edição, obra que serve de parâmetro para cartorários e oficiais de registros públicos.
 
Por indicação do vereador Durvalino Gôngora de Jesus, ele foi condecorado pela Câmara Municipal com o título de Cidadão Guaxupeano.
 
Durante décadas, enquanto sua saúde permitiu, ele tinha o hábito de ler diariamente os jornais no Clube Guaxupé e de fazer caminhadas no Guaxupé Country Clube.
 
Ele sempre foi leitor assíduo de minhas colunas históricas nos jornais e um dos meus principais incentivadores na pesquisa, porém nunca me permitiu pesquisas no seu cartório, diferentemente dos demais oficiais dos cartórios.

Guardo dele uma grata recordação. Na década de 1980 foi ele quem me apresentou ao então bispo coadjutor de Guaxupé, Dom José Geraldo de Oliveira, alguns dias após a sua posse.
 
Seu corpo foi sepultado naquele mesmo dia, às 17 horas, no cemitério da Praça da Saudade.

À família enlutada as condolências do jornal Correio Sudoeste. (Wilson Ferraz)

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados