Guaxupé, sábado, 23 de junho de 2018
Você está em: Notícias / Falecimentos / Faleceu João Stampone
quinta-feira, 27 de julho de 2017

Faleceu João Stampone

Ele era natural de Guaxupé, nasceu em 19 de setembro de 1948, filho de Nicola Stampone e de Luzia Rozária Stampone. Era neto paterno dos saudosos João Stampone e Tereza Marquezani, desbravadores da primitiva Fazenda Bebedouro e responsáveis pela construção da Capela de São Miguel, localizada no atual bairro Stampone. Ele era casado com Celina Magri Stampone e deixa os filhos: Silvana, Luiza Helena, Lilian Maria e Guilherme, os irmãos Antônio, Zequinha e Abelardo e muita saudade.
 
João, como todo descente de imigrantes, iniciou sua vida profissional ainda muito jovem na propriedade agrícola da família. Sempre dotado de uma capacidade impressionante para o trabalho, aos 14 anos de idade, já conduzia as carroças que transportavam café de propriedades vizinhas para ser seco nos terreiros de sua família. Posteriormente foi trabalhar com o também saudoso Benedito José Vieira, que era mais conhecido por Benedito Passos, integrando uma equipe formada por ele, Zoca Passos, João Vicentinho, José Baianinho, Euclides Cardoso, o “Cridão”, Lino, além de outros. Destes, apenas Lino sobrevive, sendo que os demais já faleceram. 
 
Benedito Passos, além de adquirir bovinos para o abate, também negociava em gado. Naquela época os animais não eram conduzidos por caminhões como acontece atualmente e, sim, por terra, tangido por cavaleiros. Tempos difíceis aqueles em que os “peões” tinham que enfrentar todo tipo de dificuldade no manejo das boiadas, porém João sempre se mostrou destemido, seguro e eficiente na profissão.
 
Numa segunda fase de sua vida, trabalhou por 20 anos na Telemig, juntamente com o irmão Abelardo, na manutenção de redes de telefonia na zona rural. Na empresa, ele também enfrentou uma fase difícil, quando não se dispunha de guinchos para o engaste de postes. Os postes eram levantados com a força física dos trabalhadores.
 
Infelizmente, surgiram-lhe problemas de saúde, de natureza cardíaca, fazendo com que ele se aposentasse. Apesar das limitações ele continuou desenvolvendo suas atividades em sua propriedade agrícola no bairro Bebedouro.
 
Nossa amizade remonta a década de 1960. Em março de 1970 meu pai vendeu uma propriedade agrícola no bairro Mamoneiro, foi João Stampone quem me ajudou a transferir o gado que se encontrava empastado naquela propriedade para a Fazenda Pereirinhas.
Ele sempre me dispensou uma atenção especial. Nos últimos anos encontrávamos frequentemente nas imediações da Praça da Vila Santo Antônio.
 
João Stampone deixa um exemplo de retidão, de dedicação ao trabalho, de modéstia, simplicidade e, principalmente, de discrição; bem por isso era estimado e querido por todos que o conhecerem ou com ele conviveram.
 
Seu corpo foi velado no Velório Municipal e sepultado naquele mesmo dia, às 16 h, no Cemitério da Praça da Saudade, com grande acompanhamento numa verdadeira homenagem póstuma do grande círculo de amizades que conquistou em vida.
 
Homenagem do amigo Wilson Ferraz  

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados