Guaxupé, quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
Você está em: Notícias / Falecimentos / Adair Baltazar Brocchi (Dona Dadá)
quarta-feira, 19 de julho de 2017

Adair Baltazar Brocchi (Dona Dadá)

Maria Luiza Lemos Brasileiro e  Wilson Ferraz

Na paz do Senhor, como sempre viveu, faleceu no último dia 14, aos 93 anos de idade, Adair Baltazar Brocchi, mais conhecida por Dona Dadá da Farmácia Santo Antônio.
 
O seu passamento foi uma dessas ocorrências que chocam e produzem as mais dolorosas repercussões, porque a saudosa extinta não foi apenas a farmacêutica solícita, humanitária e boa, e sim uma dessas mulheres que se impõem e se tornam admiradas e estimadas pela retidão de caráter, agudeza de independência e grandeza de coração.
 
Decana dos farmacêuticos de Guaxupé, raro é o lar onde não foi muitas vezes Dona Dadá levar o lenitivo e o conforto a muitas dores e sofrimentos, quaisquer que fossem as condições dos enfermos, sem a avidez do ganho, porque entendia a profissão como um verdadeiro sacerdócio.
 
Adair nasceu em 18 de janeiro de 1924, filha dos saudosos, Antônio Baltazar das Neves e de Florinda Canda Rivera. Era viúva de Lécio Brocchi, falecido em 08 de janeiro de 2009. Com a sua morte, ela deixa os filhos: José Roberto e Vânia, o genro Reinaldo Sandin e os netos Laís e Gustavo e muita saudade.
 
Em 1947 bacharelou-se em Farmácia através da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Alfenas. Depois de formada, iniciou sua vida profissional como farmacêutica, em Nova Resende, na Farmácia Central, de propriedade de Antônio Resende, mais conhecido por Tozito.
]
No ano de 1951 ela casou com Lécio Brocchi, então funcionário da Drogasil em Guaxupé.
 
Após seis anos trabalhando em Nova Resende, ela voltou para Guaxupé, exercendo a profissão juntamente com o marido.
 
Em 1º de janeiro de 1967 o casal adquiri a Farmácia Santo Antônio, sendo ela a farmacêutica responsável técnica pelo estabelecimento. Posição que exerceu até na data de seu falecimento.
 
Encarregada pela farmácia, enquanto sua saúde permitiu, dali não se afastava um instante se quer, confortando e assistindo, com inexcedível dedicação a todos que padeciam com suas enfermidades.
 
Com o falecimento de Lécio, em 2009, a administração da drogaria ficou a cargo do filho José Roberto.
 
Atualmente a Farmácia Santo Antônio é a drogaria guaxupeana há mais tempo em atividade, sendo a segunda empresa há mais tempo em atividade na cidade, tendo em vista que já funcionava em 1922, no mesmo local, com a denominação de “Pharmácia Manita”.
 
Dona Dadá, como ela era mais conhecida, apesar da idade avançada, continuava à frente da farmácia, sendo a farmacêutica há mais tempo em atividade no Estado de Minas Gerais, ou seja, há 70 anos.
 
Em 17 de outubro de 2011 ela foi condecorada com a Comenda Especial da Ordem Farmacêutica do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais e também foi homenageada pela Câmara Municipal de Guaxupé.
 
Ela era considerada a patronesse dos farmacêuticos pelo Conselho Regional, por ser a mulher há mais tempo em atividade ininterrupta no Estado de Minas Gerais.
 
A morte de Dona Dadá é dessas dores que não desesperam, porque traz em si mesma o consolo. Dói, mas sugere o bem lenitivamente de que na promessa de um Deus infalível, há um pouso de luz bem mais alto para quem viveu pelo bem sobre a Terra.
 
Seu corpo foi velado na Capela do Lar São Vicente de Paula e sepultado, no dia seguinte, às 10h30, no Cemitério Parque Alto da Colina, com grande acompanhamento como uma homenagem póstuma do grande círculo de amizades que conquistou em vida.
 
 À família enlutada as condolências do CORREIO SUDOESTE.
 
                                                             Homenagem
 
Em 2011, as irmãs Nair e Lourdes Buffoni e Joaquim Ferreira Leite, com a esposa Wilma Buffoni, fizeram publicar na imprensa local uma homenagem à Dona Dada e aqui vale transcrever parte da homenagem:
 
Esta condecoração é um reconhecimento aos seus mais de 50 anos dedicados à atividade farmacêutica e à promoção da saúde pública, do nosso Estado.
 
Sentimo-nos com as esperanças renovadas, para continuar com o ideal iniciado a mais de meio século e, não esmorecer frente às dificuldades surgidas e prosseguir, sem preferências pessoais.
 
A Farmácia Santo Antônio, da qual você foi e continua sendo a responsável, nasceu de um ideal, uma linha respeitada ao longo do tempo, conquistando a credibilidade e confiança do povo, sobretudo da nossa Guaxupé.
 
Seu título é motivo de alegria, para a sociedade guaxupeana que tem na sua pessoa um exemplo e, na sua personalidade, um símbolo. É a modéstia engrandecendo a bondade. Esta benemerência recebida amiga Dadá, fica muito bem como patrimônio do seu lar, pois o incentivo amorável do inesquecível e saudoso esposo Lécio Brocchi, com quem tantos anos compartilhou com você, na luta de seu ideal, teve seu companheirismo de fidelidade inconfundível e, os ideais da família cristã tem sido, por certo, as grandes forças que fazem palpitar o seu coração, quando você o coloca a serviço da coletividade e, como tão bem o fez e faz, no seu profissionalismo farmacêutico.
 
Receba, caríssima Dadá, a certeza de que só há um meio de se amar a vida ... é o de amar o que nela se faz. É no trabalho do dia-a-dia que se pode amar a vida, realizando sonhos e formalizando esperanças, tornando possível a aspiração melhor ...

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados