Guaxupé, segunda-feira, 17 de junho de 2019
Você está em: Notícias / Câmara / Câmara Itinerante: “está evidente a ineficiência da administração municipal”, afirmou vereador
sábado, 8 de junho de 2019

Câmara Itinerante: “está evidente a ineficiência da administração municipal”, afirmou vereador

Foto: Ascom CÂMARA
Foto: Ascom CÂMARA
A Câmara Municipal de Guaxupé promoveu na última terça-feira, 4, às 19h, nas dependências do CIEG, a primeira audiência pública do programa denominado “Câmara Itinerante”, com objetivo de aproximar os vereadores da população.
 
O evento foi presidido pelo presidente da Casa Legislativa, Léo Moraes.
 
Embora a audiência fosse de extrema importância, três vereadores deixaram de comparecer: Ari Cardoso, Luzia Angelini e Wilson Ruiz de Oliveira.
 
Inicialmente o diretor legislativo, Ruan Francisco de Souza, fez a apresentação de cada um dos 13 vereadores.
 
Dados Criminais
Falando em nome do comandante da 79ª da Polícia Militar, o Tenente Eza fez a apresentação dos dados criminais em Guaxupé referente ao primeiro trimestre de 2019.
 
Segundo o militar, em 2015 e 2016, os índices de criminalidade foram elevados. Diante disto a instituição adotou “ações integradas” fazendo com que as ocorrências fossem reduzidas consideravelmente.
 
Dentre os fatos que resultaram, principalmente na redução dos crimes praticados a mão armada, foi a “internação” de menores infratores, pois muitos deles apresentavam um alto índice de reincidência com cerca de 20 a 25 passagens pela polícia.
 
Tribuna Popular
Naquela oportunidade foi disponibilizada a oportunidade para que as pessoas do público apresentassem seus questionamentos e ou reclamações.
 
“Fitinhas em falta”
Sebastiana declarou ser portadora de diabetes e que estava tendo dificuldade em conseguir a insulina, além de um material popularmente conhecido por “fitinhas”, destinado à realização de exame para controle do teor de glicose no sangue.
 
Ela também falou da dificuldade que, principalmente os idosos, enfrentam na utilização do transporte coletivo urbano.
 
A vereadora Dra. Salma, até mesmo por ser médica da rede municipal de saúde, informou que em virtude de problemas técnicos houve um atraso na entrega de medicamentos, além de outros produtos, dentre eles as mencionadas “fitinhas”, porém o problema já estaria sendo solucionado.
 
Transporte precário
Tereza, servidora pública aposentada, também reclamou dos serviços prestados pela empresa concessionária do transporte público. Segundo Tereza, os idosos que têm direito à gratuidade, necessariamente, têm que adentrar nos veículos através da porta dianteira, porém o compartimento tem assentos em número reduzido, fazendo com que os passageiros tenham que ser transportados em pé, o que causa desconforto e risco de quedas. Ela sugeriu a possibilidade de que os que têm direito à gratuidade possam adentrar nos veículos pela porta traseira, como os demais passageiros.

Atrações culturais
A moradora Andreia Cristina Gonçalves Nascimento cobrou melhor atendimento no PSF, Posto de Saúde da Família, localizado naquelas imediações do Cieg, entre o Parque I e II, sugeriu a disponibilização de um médico pediatra naquela unidade de saúde. No entendimento dela a administração municipal deveria implantar ações que implementem apresentações teatrais, esportivas, dentre elas o judô, e viradas culturais, além de atividades voltadas à terceira idade.
 
Esporte
Gustavo fez uma série de denúncias em relação ao Ginásio Poliesportivo, como a demolição de uma caixa d’ água e que depois disto paralisaram as obras. No entendimento dele deferia ser feita, primeiramente, a reforma da parte externa daquele ginásio e, posteriormente, a da parte interna.

Ele sugeriu que a Prefeitura, além de fornecer ônibus, para a realização de eventos esportivos fora do município, também ajudasse no custeio de outras despesas.
 
Estrada
Wagner dos Santos disse ser morador do bairro “Tomateiros” e cobrou melhorias na estrada que liga aquele bairro com a Avenida João Francisco Pasqua. Para ele, supostamente estaria havendo “descaso” da administração municipal para com os moradores daquele logradouro.
 
Salas ociosas
Sílvia Aparecida da Silva  informou que o CAIC e o CIEG possuem amplas instalações; que em administrações municipais passadas as mesmas eram utilizadas para a realização de cursos profissionalizantes, além de eventos que atraiam jovens e crianças para atividades salutares. No entendimento dela vários prédios que compõem aqueles complexos supostamente estariam ociosos. Ela também sugeriu que se os administradores municipais olhassem com mais carinho para aquelas edificações e que assim poderiam concluir que as mesmas poderiam ser melhor aproveitadas.
  
Mais remédios
O cidadão Sérgio Custódio teceu duras e pesadas críticas contra a administração municipal, disse que as pessoas estão sendo tratadas pela secretaria municipal de Saúde como se fossem “carros velhos”; ele denunciou que estariam faltando medicamentos para a população, que supostamente não estariam sendo disponibilizados exames clínicos condizentes com a demanda.
 
No entendimento dele, ao invés da administração municipal investir na construção de novos prédios para unidades de saúde, os recursos financeiros deveriam ser aplicados em ações de saúde que realmente atendessem as demandas da população.
 
Sérgio alegou que sua esposa, depois de quatro anos de espera, procurou atendimento de saúde na cidade paulista de Indaiatuba, onde vem realizando tratamento.
 
Pronunciamento dos vereadores
Depois de ouvida as pessoas que se dispuseram a falar, o presidente Léo Moraes abriu a palavra aos vereadores.
 
Em tom taxativo Jorginho declarou que “está evidente a ineficiência da administração”; ele também acrescentou que “em Guaxupé está caracterizado o abandono do esporte, a falta de medicamentos, a falta de cursos profissionalizantes”. Finalizando disse, “os vereadores cobram e não são atendidos e assim sofrem desgaste político”.
 

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados