Guaxupé, sexta-feira, 14 de dezembro de 2018
Você está em: Notícias / Câmara / Descaso: presidente do Sindicato dos Servidores desabafa sobre possibilidade de exoneração
quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Descaso: presidente do Sindicato dos Servidores desabafa sobre possibilidade de exoneração

Servidores aposentados da prefeitura e que continuam em atividades participaram da 17ª sessão ordinária da Câmara Municipal, realizada na última segunda-feira, 22, principalmente depois da divulgação de que podem ser exonerados.
 
Iniciada a sessão, o presidente, Danilo Martins de Oliveira, convidou a presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Ana Claudia Gurgel Fernandes, para se pronunciar na tribuna.
 
Segundo Ana Cláudia, em julho começou os rumores pela cidade de que os servidores aposentados seriam exonerados, embora a administração municipal não tivesse feito nenhum comunicado oficial, seja ao sindicato da categoria ou aos funcionários que estavam naquela condição.
 
Continuando, disse que em agosto a direção da entidade teve uma reunião com o secretário municipal de Administração, Rafael Olinto, e que naquela ocasião o mesmo teria “desmentido os boatos” alegando que o representante do Ministério Público Estadual teria apenas solicitado a lista com o nome dos funcionários aposentados que continuavam trabalhando. Teria dito ainda que somente a procuradora geral do município, Lisiane Cristina Durante, poderia falar a respeito da indagação do promotor de justiça, porém a mesma estaria de licença em virtude do agravamento do estado de saúde de seu marido, Antônio Costa Monteiro Neto.
 
Ana Cláudia mencionou que a partir de setembro os “rumores ficaram mais fortes” e nenhum dos representantes da administração municipal se dispôs a informar o que realmente estaria ocorrendo. Que, a partir do último dia 11, foram afixados junto aos relógios de ponto de diversas repartições públicas cartazes informando a respeito das demissões. Diante disto ela teria voltado a procurar Rafael Olinto na tentativa de uma explicação, tendo este alegado que haveria uma “determinação” do promotor de justiça e que seria estabelecido um cronograma para as exonerações.
 
De forma categórica, a presidente do sindicato alegou que a postura da administração municipal demonstrou um descaso muito grande para com os funcionários, que “doeu muito”, além de uma falta de respeito.
 
Ela também declarou que o sindicato só foi informado oficialmente após a colocação dos “papéis junto aos relógios de ponto”. Diante de tudo isto o advogado do sindicato teria impetrado um “mandado de segurança coletivo” na comarca local, na tentativa de se evitar as demissões até que o STF, Supremo Tribunal Federal, decida a respeito do tema em ações ajuizadas por servidores de outras prefeituras que também passam pelo mesmo problema.
 
Num verdadeiro desabafo ela comentou: os aposentados sempre trabalharam na Prefeitura; quando iniciamos na atividade já sabíamos que poderíamos continuar trabalhando após a aposentadoria.
 
Redução da remuneração
Segundo Ana Cláudia, o INSS, Instituto Nacional de Serviço Social, paga a título de aposentadoria um valor muito inferior ao que o trabalhador recebe do empregador. Caso as demissões venham a ocorrer, a redução da remuneração será muito grande; muitos destes servidores recebem a título de remuneração em torno de um e meio salário mínimo; têm empréstimos consignados com desconto em folha de pagamento. No entendimento dela, sem o salário da Prefeitura, e com o desconto na aposentadoria, o servidor não terá nem como se alimentar e ainda acrescentou: eu nunca vi tanta gente chorando, a gente não sabe o que vai fazer ou se paga as dívidas ou come, se compra remédio ou comida, e ainda têm os funcionários que têm filhos estudando em faculdade particular. Concluindo disse: agora não tem o que se fazer, mudou-se a regra do jogo e nós não fomos consultados.
 
228 servidores
A presidente do sindicado informou que do total dos envolvidos, 178 já estão aposentados e que outros 50 já deram entrada no pedido de aposentadoria, sendo que muitos destes já tiveram a confirmação do INSS de que têm tempo suficiente de contribuição para aposentarem, porém diante do quadro atual estão aguardando para se decidirem a respeito da aposentadoria.
 
Findo o seu pronunciamento, os servidores se puseram de pé e procederam uma longa e calorosa salva de palmas em agradecimento à Ana Cláudia.
 
Maria José
A vereadora Maria José Cirino explicou que há uma “recomendação” do Ministério Público para que o prefeito exonere os 178 servidores sob pena de uma ação civil pública; que ela vê com muita preocupação o dilemas destas famílias que hoje contam com os salários acrescidos da aposentadoria. Ela explicou que a legislação vigente impede que funcionários continuem trabalhando no serviço público, uma vez que a aposentadoria caracteriza a vacância do cargo.
 
Diante do pronunciamento, ela foi aparteada por um servidor que se encontrava exaltado, e que não concordava com a legislação. Diante disto o presidente Danilo solicitou que a plateia não se manifestasse.
 
Maria José tentou argumentar que os candidatos já aprovados no concurso público, por lei, seriam os titulares das vagas. Novamente ela foi questionada pelo mesmo funcionário público.
 
Evitando que os ânimos se exaltassem, o presidente Danilo deu por encerrada a fala da vereadora. (WF)
 

Confira a Galeria de Fotos

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados