Guaxupé, quarta-feira, 19 de dezembro de 2018
Você está em: Notícias / Câmara / Vereador entende que mesa diretora da Câmara Municipal deve ser eleita sem interferência do prefeito
quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Vereador entende que mesa diretora da Câmara Municipal deve ser eleita sem interferência do prefeito

No grande expediente da última sessão ordinária da Câmara Municipal, na segunda-feira, 8,  Ari Cardoso voltou a tecer duras e pesadas críticas ao executivo e também cobrou lisura e respeito do também vereador Francisco Timóteo de Resende na eleição da nova mesa diretora da Câmara Municipal.
 
Ari afirmou que o prefeito pretende indicar os componentes da mesa diretora da Casa Legislativa para o biênio 2019/2020, inclusive “quem vai ser o próximo presidente”. No entendimento do vereador esta suposta conduta do prefeito seria uma falta de respeito com o Poder Legislativo e que os vereadores precisam se unir e votar conforme suas consciências e, “não em quem o prefeito quer” para a composição da nova mesa diretora.
 
Na sessão anterior àquela, ele já havia feito várias cobranças de promessas de campanha do então candidato a prefeito, Heber Quintella, e da primeira campanha eleitoral do atual prefeito, Jarbas Corrêa Filho e que, supostamente, não teriam sido cumpridas.
 
Ele se diz indignado pela falta de respostas em relação às cobranças, que também já teria feito inúmeras indicações e que o executivo, além de se manter inerte, também não lhe responde formalmente. Ari entende que isto, supostamente, configura uma falta de respeito para um vereador que se encontra no seu terceiro mandato.
 
Na sequência ele fez uma série de questionamentos, dentre eles de que a Prefeitura, supostamente, teria realizado recentemente uma reforma no prédio do CIEG  e que agora “voltou a gastar dinheiro naquele prédio”. Ressaltou que não estava fazendo nenhuma denúncia, mas que no entendimento dele o fato precisa ser “investigado” e que é preciso saber quanto a Prefeitura está gastando naquelas obras.
 
O vereador cobrou a implantação da Zona Azul, da Guarda Municipal e de uma UPA Unidade de Pronto Atendimento. Disse que fez várias indicações ao executivo para que instalações sanitárias fossem implantadas na Praça da Saudade para atender a demanda das pessoas que frequentam a feira e que, além de não ser atendido, não obteve nenhuma resposta do prefeito.
 
Ari alega que o município conquistou uma verba para implantação de uma UPA, Unidade de Pronto Atendimento, e que o prefeito justifica que não implanta pelo fato da Prefeitura não possuir um terreno condizente, porém ele discorda desta afirmação dizendo que a mesma poderia ser instalada no Parque de Exposições Dr. Geraldo de Souza Ribeiro.  
 
Diante dos fatos, o líder do prefeito na Câmara, Léo Moraes, saiu em defesa do executivo justificando que a zona azul depende da implantação da guarda municipal e que a mesma está em vias de ser implantada, dependendo dos últimos acertos junto à Polícia Federal, além de outros órgãos.
 
O clima acabou esquentando entre Ari e Léo Moraes. Desta forma o presidente, Danilo Martins encerrou as discussões abrindo a palavra ao próximo inscrito, Donizette Luciano.
 

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados