Guaxupé, terça-feira, 18 de setembro de 2018
Você está em: Notícias / Câmara / Depois de três anos na fila de espera, mãe de vereador morre sem conseguir cirurgia
quarta-feira, 30 de maio de 2018

Depois de três anos na fila de espera, mãe de vereador morre sem conseguir cirurgia

Passados16 dias do óbito, família recebe ligação para agendamento da cirurgia
Vereador Francis
Vereador Francis
O vereador Francis Osmar, em pronunciamento realizado na tribuna da Câmara Municipal, durante a realização da última sessão ordinária, fez severas e pesadas críticas com relação aos procedimentos adotados pela secretaria municipal de Saúde e ainda requereu que a administração municipal adote providências, o mais rápido possível, tendentes a sanar os problemas.
 
Para ele, a Prefeitura precisa organizar melhor a secretaria de saúde e parar com a demagogia.
 
Visivelmente emocionado desabafou: a mãe, na condição de usuária do SUS, aguardou a realização de uma cirurgia por mais de três anos e que em virtude da demora o estado de saúde foi agravada, tendo a mesma vindo a óbito. No entendimento dele, caso a cirurgia tivesse ocorrido, a mãe não teria falecido.
 
A maior indignação de Francis é que após 16 dias do falecimento de sua mãe, um funcionário da secretaria municipal de Saúde ligou em sua casa informando que a cirurgia havia sido agendada. Ele acredita que com esta atitude, a secretaria deveria adotar procedimentos mais ágeis, com rastreamento dos casos mais graves, “evitando que pessoas morram sem atendimento”.
 
Outra informação do vereador e de que, após estes fatos, 25 pessoas o procuraram para denunciar situações semelhantes.
 
Diante da fala de Francis, Jorginho disse que ele já vinha “escancarando” as irregularidades desde janeiro de 2013, que a atuação da secretaria de saúde é ineficiente e ainda causa constrangimento às famílias; que se a situação da saúde está ruim no país, em Guaxupé está pior.
 
Já a vereadora Dra. Salma, mencionou que pelo fato de ser médica da rede municipal de saúde conhece bem o problema e que a secretária de Saúde deve explicações à Câmara Municipal; que durante toda a sua vida profissional nunca viu uma situação como esta com tanta demora para se realizar um simples exame; que tudo isto mostra a desorganização que existe na secretaria de saúde.
 
No entendimento de Dra. Salma, na frente da secretaria da Saúde deveria haver um profissional com conhecimento na área para poder organizar e humanizar o atendimento; que o atendimento de saúde não se resume a números e, sim, em ações eficientes, humanizadas e que respeitem o paciente.
 
Finalmente ela enumerou um sem número de ações que estão sendo realizadas e que deveriam ser alteradas, mas que para isto aconteça é imprescindível que o serviço seja coordenado por um profissional da área.  
 
Concluindo, declarou que se a mãe do vereador Francis tivesse passado pelo tratamento que o caso requeria poderia ter sido salva, que quando a mesma foi encaminhada para a UTI, o quadro já era irreversível, e todo procedimento foi realizado na tentativa de salvá-la.
(WF)

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados