Guaxupé, segunda-feira, 25 de junho de 2018
Você está em: Notícias / Câmara / Presidente da Câmara Municipal alega que vereadores assinam projetos de lei sem ler
terça-feira, 10 de abril de 2018

Presidente da Câmara Municipal alega que vereadores assinam projetos de lei sem ler

Danilo Martins, presidente da Câmara
Danilo Martins, presidente da Câmara
O clima acabou “esquentando” entre o presidente da Câmara Municipal, Danilo Martins, e o vereador Jorginho durante a realização da última sessão ordinária da Câmara Municipal.
 
Danilo informou que estava distribuindo “por ofício” uma proposta de emenda à Lei Orgânica Municipal que pretende elevar de 23 para 25% o percentual mínimo que a Prefeitura deverá aplicar em saúde pública.
 
Para apresentação de propostas de emendas à Lei Orgânica são necessárias assinaturas de pelo menos um terço dos vereadores, ou seja, a iniciativa de cinco vereadores. Na proposta apresentada constam 10 assinaturas, Donizete, Dra. Salma, Luzia Angelini e as sete demais não foram identificadas.
 
Danilo alegou que tinha sido procurado “por mais de um vereador” que lhe teriam dito que assinaram o documento sem ler e que só mais tarde tomaram conhecimento do inteiro teor da proposta. Disse que durante a realização das sessões alguns edis, através de servidores daquela Casa, colhem assinatura dos demais vereadores em projetos de leis e de resoluções e até mesmo de alterações na Lei Orgânica Municipal.
 
De forma categórica informou que na condição de presidente estava proibindo que funcionários e vereadores colhessem assinaturas dos demais edis em documentos, exceto nas listas de presença e nas atas depois de votadas.
 
Léo Morais foi o único que confirmou que teria assinado o documento em confiança ao propositor da emenda, porém não mencionou o nome do mesmo.
 
Parece que Jorginho não gosto da nova decisão “verbal” do presidente dizendo que este tipo de determinação deveria ocorrer através de portaria. Por sua vez Danilo contestou e ainda alegou que o caso estava encerrado. Jorginho contra-atacou dizendo que ele “estava com a palavra” e que ia continuar falando. Novamente Danilo alegou que o “caso estava encerrado”.
Os ânimos se exaltaram, tendo Jorginho dito que iria tomar as medidas judiciais cabíveis.
(WF)

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados