Guaxupé, segunda-feira, 17 de dezembro de 2018
Você está em: Notícias / Câmara / Na Câmara, Cascudo reclama acusação injusta da morte de sua filha
terça-feira, 15 de agosto de 2017

Na Câmara, Cascudo reclama acusação injusta da morte de sua filha

Sebastião Aparecido, o Tião Cascudo
Sebastião Aparecido, o Tião Cascudo
O ex-vereador Sebastião Aparecido de Jesus, o Tião Cascudo, fez uso da Tribuna Popular da Câmara Municipal na última segunda-feira, 14, para falar a respeito de uma tragédia que abateu sobre sua família, com a morte de sua filha.
 
Visivelmente abatido, se apoiando em uma bengala, com o seu costumeiro estilo agressivo, não poupou ataques a quem quer que seja. Disse que foi acusado injustamente por integrantes do Conselho Tutelar e por pessoas evangélicas e que a morte de sua filha “já era uma tragédia anunciada”, tendo em vista que a mesma já teria tentado se matar em outras duas vezes.
 
Com palavras ofensivas discordou da atuação das “conselheiras” do Conselho Tutelar. No entendimento dele, aquele Conselho foi omisso, deixando de adotar procedimentos pertinentes ao caso.
 
Cascudo alega que um site de notícias teria feito uma “montagem” exibindo documentos que se encontram entranhados em processo que corre em segredo de justiça. Segundo ele, o editor do mencionado site teria se utilizado de “três atrizes” para denegrir a imagem de sua família.
 
Disse que procurou a promotoria de justiça criminal, tendo o promotor de justiça determinado a instauração de inquérito policial para apuração dos fatos, principalmente para identificar quem teria disponibilizado cópia de documentos sigilosos para o representante do site que fez as publicações. Disse que em virtude das publicações do site ele está sendo crucificado.
 
Sebastião elogiou a atuação do juiz da Infância e da Adolescência, Milton Furquim e do coordenador do Comissariado de Menores. Segundo Cascudo, ele teria denunciado ao mencionado magistrado de que em determinada ocasião estaria ocorrendo uma festa, onde serviam bebidas alcóolicas e drogas a menores de idade; que o magistrado determinou que o Comissariado de Menores procedesse a fiscalização; que em virtude da fiscalização, Luiz Ferreira voltou com uma van cheia de menores que frequentavam tal festa, inclusive sua filha.
 
Cascudo alega que pediu ajuda a diversas pessoas e autoridades na tentativa de conseguir um psiquiatra para atendimento de sua filha. Ele discorda dos procedimentos adotados por um psiquiatra que atende pela rede municipal de saúde, que este teria indicado que o tratamento deveria ter prosseguimento com um psicólogo.
 
O ex-vereador também disse que não confia em atendimento psicológico, ele entende que este tipo de procedimento “é só conversa” e, portanto, não cura ninguém.
 
Ele atacou o mencionado psiquiatra com palavras ofensivas e ainda acrescentou “a cidade quer a cabeça dele na bandeja”.  Sebastião acusa o mencionado profissional de realizar o exame do paciente em “um minuto”.
 
Sebastião também disparou contra um perito do INSS.
 
Finalmente Cascudo solicitou que a Câmara Municipal investigasse todas estas denúncias, evitando que as supostas irregularidades voltem a acontecer.
 
Dra. Salma
Terminado o pronunciamento de Cascudo, a vereadora Dra. Salma mencionou que tem recebido “queixas” com relação à atuação do Conselho Tutelar; que o envolvimento, principalmente de menores de idade, com drogas ilícitas tem aumentado consideravelmente em Guaxupé e que os vereadores “precisam buscar projetos para o combate ao uso de drogas”.
 
Presidente
O presidente daquela Casa, Danilo Martins, mencionou que a Tribuna Popular está aberta a todos, porém desde que se manifestem de forma respeitosa e que a mesma não pode ser utilizada para ataques pessoais e muito menos com palavras ofensivas e de baixo calão. (WF)

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados