Guaxupé, sexta-feira, 25 de maio de 2018
Você está em: Notícias / Artigos / Ei, você aí no fundo do poço: mova-se!!!
sexta-feira, 2 de março de 2018

Ei, você aí no fundo do poço: mova-se!!!

Lucinéia Vieira

Pronto. Você chegou e parou no fundo do poço. As sensações são as piores: tristeza, angústia, desânimo...uma escuridão total. E o pior deles, o vazio existencial que dói na alma. Depressão é isso. Estar no fundo do poço. A luz está lá no alto, mas parece impossível de alcança-la.
 
A gente tenta se agarrar a qualquer coisa que possa nos tirar do fundo: amigos, familiares, religião, remédios, médicos, terapeutas, etc. e mesmo assim voltamos a cair nele.
 
Isso aí, eu já passei por esta situação e não faz muito tempo. E agora estou aqui para tentar de alguma forma te fazer sair do fundo do poço.
 
Um dos primeiros passos é saber: você quer mesmo sair da situação que se encontra? Porque de nada adianta tentar e tentar, mas no fundo preferir ficar nessa depressão. Pare e pense quantas vezes você negou a receber ajuda ou se sabotou quando teve uma chance de sobreviver ao caos?
 
Uma das piores lições: nada, nem ninguém vai te salvar. É triste essa realidade, mas você vai ter que encarar. Fora que nesta altura do campeonato já deve estar cheio de ouvir dos outros que tudo isso é frescura, que todo mundo tá passando por isso, que está querendo chamar atenção...blábláblá. A salvação meu amigo, está em você mesmo. Pode até ficar aí no fundo do poço esperando um milagre. Mas ele não vai acontecer.
 
Me responda...quanto tempo faz que está no fundo do poço? Tempo demais, não é? Alguma coisa mudou? Não!
 
Sendo assim vamos pensar: você já está no fundo, depois disso não há mais nada. Então o limite é esse e você tem duas opções, desistir ou reagir.
 
Para desistir é fácil e tenho certeza que este é o primeiro e o último pensamento que te vem à cabeça todos os dias.
 
Mas espera aí! Toda uma vida, de alegrias e tristezas, vai ficar assim, sem continuidade? Será que de tudo o que fez parte da sua história de vida, não tem nada de bom que possa ser relembrado? Será que as pessoas ao seu redor esperam que você desista de lutar?
 
Quantas vezes você disse não à má sorte, levantou a cabeça e seguiu em frente? Quantas vezes ficou diante de um problema e conseguiu revertê-lo? Por que agora tem que ser diferente?
 
A boa notícia é essa: TUDO PASSA. E de tanta situação ou sentimento ruim, sempre há um aprendizado. Tente analisar seu caso por todos os ângulos. Assume que está com um problema mas que tem o desejo de solucioná-lo. Isso é amadurecimento emocional.
 
A hora é agora de você se mover. Já percebeu que se fazer de vítima não vai adiantar. Já viu que ninguém vai te puxar do fundo do poço. E enquanto isso, o tempo passa, a vida passa e você está aí parado. Abre e fecha os olhos, respira, come, dorme, faz suas necessidades, e seu corpo e mente está pulsando vida.
 
Comece a se mover devagar. Sair do poço é como um nascimento, e incomoda. Vai querer desistir muitas vezes que tentar, porque se acostumou com a zona de conforto (ou desconforto).
 
Então vai devagar. Organize seus pensamentos: quem é você? Está nesta situação por quais motivos? É algo passageiro ou que vem se arrastando? O que é preciso fazer para mudar tudo isso?
 
Mude as palavras. Quando for reclamar, cale-se. Ou melhor, fale algo positivo, algo que as pessoas que convivem com você não esperam, pois já se acostumaram com suas reclamações.
 
Tem se sentido inútil? Já pensou em ajudar quem precisa de carinho, atenção, acolhimento? Muitas instituições de caridade estão de portas abertas para novos voluntários. Doe-se a quem precisa!
 
Tem vontade de sair do sedentarismo mas não tem motivação? Quer mais motivo do que se movimentar para seu próprio bem?
 
Não precisa virar atleta. Caminhe. Ande. Observe os detalhes da cidade, de sua gente, da rotina de outras pessoas. Cumprimente o gari, o idoso, o pedinte, as crianças, o jovem que fica de olho no celular. Faça um agrado a algum animalzinho. Vá sem pressa. Vá sem rumo, sozinho. Aliás, depois de tanto tempo no escuro do fundo do poço, você se tornou sua melhor companhia. Para que depender dos outros para viver sua vida?
 
Durante seu passeio aproveite para agradecer a Deus pela sua vida, sua família, seus amigos, sua saúde, seu trabalho e a todas as boas oportunidades que teve e ainda vai ter.
 
Tente, de todas as maneiras a dar o primeiro passo para subir o poço.
 
Aos poucos, com calma e tempo, vai analisando as possibilidades e como chegar ao topo novamente. Nada é impossível.
 
Durante a subida, não olhe para trás. Foque sua atenção ao azul do céu, à chuva que cai, aos pássaros cantando, à vida que te espera do lado de fora. A força vai brotar lá da sua fé e vai te surpreender.
 
Agora que conseguiu dar o último passo, mãos à obra! Mova-se. Arregace as mangas e agiliza o que te fez desanimar. O emprego está ruim? Procure outro. O relacionamento piorou? Converse, dialogue. Não está satisfeito com alguma coisa? Mude.
 
O que não dá pra fazer e voltar ao fundo, é não tentar. Faça isso por você, por quem gosta e se preocupa, por quem se espelhou, se orientou, e sempre te motivou.
 
Mova-se e o resto da sua vida novamente vai se mover...boa sorte!

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados