Guaxupé, quarta-feira, 20 de março de 2019
Você está em: Notícias / Agropecuária / Concurso internacional de cafés especiais termina domingo
quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Concurso internacional de cafés especiais termina domingo

Vanusia Nogueira, Diretora da BSCA, Carlos Paulno e Carlos Augusto, presidente e vice da Cooxupé, Darrin Daniel, Diretor Executivo ACE
Vanusia Nogueira, Diretora da BSCA, Carlos Paulno e Carlos Augusto, presidente e vice da Cooxupé, Darrin Daniel, Diretor Executivo ACE
Desde segunda-feira, dia 15, juízes de vários países estão participando na Assoxupé, do concurso “Cup of Excellence Brazil 2018”, evento que faz parte da etapa internacional de avaliação da qualidade dos cafés brasileiro.
 
Na quarta-feira, a diretoria da Cooxupé e os organizadores da “Copa do Mundo do Café” se reuniram com a imprensa para explicarem a importância do evento para o Brasil e detalhes do concurso.
 
Receberam os jornalistas e suas equipes, o presidente e vice da Cooxupé, Carlos Paulino da Costa e Carlos Augusto de Melo, respectivamente; Vanusia Nogueira, Diretora da BSCA e Darrin Daniel, Diretor Executivo ACE.
 
O Cup of Excellence está em sua 19ª edição e na etapa de Guaxupé estão participando 29 juízes de 10 países, que estão provando 77 amostras de café arábica classificadas durante a etapa nacional, que foi realizada em Varginha-MG. Destas amostras, 37 são de cafés despolpados e 40 de cafés normais, secos em terreiros. Estão participando desta edição cafeicultores de diferentes regiões do Brasil.
 
Os avaliadores vão degustar, avaliar e pontuar cada uma das amostras de café nas duas categorias (despolpados e grãos secos com casca).
 
A equipe de juízes é composta por especialistas na “provação de café” dos Estados Unidos, Japão, China, Cingapura, Bulgária, Rússia, Inglaterra, Austrália, Índia e Alemanha.
 
No próximo domingo, dia 21, serão anunciados os produtores vencedores do concurso, com as melhores pontuações. Os lotes de cafés vencedores participarão de leilões organizados pela Alliance for Coffee Excellence (ACE), com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), garantindo valores diferenciados para as sacas de café especiais.
 
No ano passado, o vencedor da categoria Pulped Naturals do Cup of Excellence – Brazil 2017 obteve o valor de R$ 55 mil por uma saca do seu lote campeão.
 
Carlos Paulino
Conforme explicou o presidente da Cooxupé, Carlos Paulino da Costa num passado remoto não havia a preocupação com a qualidade dos lotes de café para exportação, porém no decorrer dos anos os mercados consumidores passaram a exigir produto de melhor qualidade, inclusive, proporcionando melhor remuneração ao produtor. Desta forma, nas últimas décadas, os cafeicultores passaram a adotar providências no sentido de se produzir lotes de café de melhor qualidade, atendendo a demanda do mercado consumidor.
 
Conforme ele explica, a boa qualidade do café depende basicamente de dois fatores clima e solos férteis em terras altas.
 
Ele também mencionou que as lavouras de café estão migrando para as regiões planas, no Serrado Mineiro, porém a qualidade do produto é muito inferior aos das montanhas do sudoeste mineiro.
 
Questionado sobre as normas ambientais que proíbem a implantação de lavouras em encostas de montanhas com declividade acentuada e com relação às dificuldades de mecanização nestas regiões, Carlos Paulino respondeu que o respeito às normas ambientais são imprescindíveis, pois caso contrário o Brasil poderá se tornar um “deserto improdutivo”, já com relação à mecanização agrícola acrescentou que nos municípios vizinhos o cultivo do café está sendo praticado em sua maioria por agricultores familiares. Como as propriedades são menores, os próprios membros da família dão conta do serviço; com um café de melhor qualidade, a remuneração é maior.
 
O vice-presidente, Carlos Augusto, mencionou que, com relação às intempéries, pouco se pode fazer. Porém, com relação aos tratos culturais, o produtor deve dispensar uma atenção especial “considerando o pé de café como sua segunda mulher”, ou seja, dispensando um cuidado especial, pois somente com um produto de excelente qualidade se poderá obter uma remuneração satisfatória.
 

Confira a Galeria de Fotos

Vanusia Nogueira, Diretora da BSCA, Carlos Paulno e Carlos Augusto, presidente e vice da Cooxupé, Darrin Daniel, Diretor Executivo ACE Os participantes da coletiva de imprensa puderam apreciar uma amostra de café com alta pontuação de qualidade

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados