Guaxupé, terça-feira, 16 de janeiro de 2018
Você está em: Acontece / Estética / Olheiras: saiba as causas, os tipos, modo de prevenção e os novos tratamentos
terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Olheiras: saiba as causas, os tipos, modo de prevenção e os novos tratamentos

Especialista nos alerta que a genética pode ter muito influencia sobre mal porém isso não significa que não tenha jeito
As olheiras são grandes inimigas de nós mulheres há longa data e vários fatores do dia a dia estão implicados na sua piora tais como: cansaço, má alimentação (principalmente rica em muito sal - o que acaba por aumentar as bolsas), dormir pouco, trabalhar demais, chorar, além da ingestão excessiva de álcool. 
Esses são os fatores de piora das olheiras, entretanto não são a causa do problema, ao contrário, do que muitos pensam.
 
É claro que você já pensou: “Se é para termos olheiras que seja por termos ido a festas e aproveitado o carnaval”. Mas nem sempre é assim, dra Daniela Ribeiro médica dermatologista especialista em medicina estética nos conta que, muitas vezes temos olheiras simplesmente por GENÉTICA. Você não leu errado não. É Isso mesmo. Ou até por termos algum tipo de alergia na pele ou alergia respiratória como a RINITE ALÉRGICA.
 
Então muitas vezes não conseguimos evitar o problema mesmo que tenhamos uma vida extremamente saudável. Mas nem por isso significa que não tenha tratamento. Pelo contrário, hoje as técnicas mais modernas de tratamentos, nos permitem corrigir e tratar as olheiras mais facilmente. 
 
Antes de decidir qual o melhor tratamento é importante que um profissional médico DERMATOLOGISTA avalie qual o tipo da sua olheira para então poder fazer um plano de tratamento adequado para o seu caso. 
 
Dra Daniela explica que existem basicamente 4 tipos de olheiras:
 
PIGMENTAR- ocorre por depósito de pigmento na pele. As olheiras nesse caso são de cor marrom. Muito comum em pessoas de pele morena, em pessoas com tendência genética e alérgicos. O tratamento destas olheiras podem ser feitos com peelings químicos ou Laser Elekra (laser Q-Swichted Fracionado). 
VASCULAR - ocorre quando existe um aumento de vasos sangüíneos na região ou por depósito de hemossiderina (um composto do sangue). Elas geralmente são avermelhas, azuladas ou arroxeadas. Podemos tratá-las com LUZ PULSADA. 
ESTRUTURAL - ocorre por falta de tecido na região quando a pele fica muito fina e vemos o músculo por transparência ou até por formar uma sombra na goteira lacrimal deixando uma aparência de olho profundo. Muitas vezes o envelhecimento da região palpebral acaba acentuando esse tipo de olheiras. Geralmente são tratadas com preenchimentos a base de acido hialurônico , com o skinbooster ou com o Ulthera (para melhorar a flacidez na região). Ou até combinando as técnicas.
MISTA - é o tipo mais comum de olheiras. Geralmente existe uma combinação dos fatores acima levando às olheiras. Nesse caso uma mistura de tratamentos deverá ser utilizada. Além destes citados acima pode-se usar o Laser Fracionado de Co2 ipixel com impact fazendo infusão de medicamentos (como a vitamina C e o ácido tranexâmico). 
Dra Daniela ainda lembra que todos os tratamentos amenizam as olheiras mas não as fazem desaparecer portanto você sempre precisará tratar. Os tratamentos com produtos tópicos como cremes e séruns ajudam a prevenir a formação das mesmas e devem sempre ser utilizados mas não corrigem olheiras já formadas.
 
Agora, aproveitem o carnaval com moderação e quando ele acabar se estiver com olheiras não esqueça que não é só isso… Procure ajuda de um dermatologista.

Mais sobre Dra Daniela Ribeiro
Graduação  em Medicina
Pós-Graduação em Alergologia e Imunologia
Pós - Graduação em Dermatologia.
Pós - Graduação em Medicina Estética.
Médica Dermatologista, especialista pela SBD
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Membro da Academia Americana de Dermatologia e da American Society for Laser Medicine And Surgery.
 

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados