Guaxupé, sexta-feira, 20 de outubro de 2017
Você está em: Acontece / Dicas da Meíta / DICAS DA MEÍTA
sexta-feira, 16 de setembro de 2016

DICAS DA MEÍTA

Verão chegando e com ele a hora de reunir os amigos. Que tal preparar aquele churrasco que mineiro faz e nenhum gaúcho põe defeito? Além da cervejinha gelada você pode servir aquele vinho delicioso que cada vez mais o brasileiro aprende a apreciar. Vamos lá!!!
 
VINHO COMBINA COM CHURRASCO?

Picanha: quando preparada da maneira correta, a picanha é bastante macia, fibrosa e ainda tem uma capinha de gordura, na qual é envolvida. Para segurar tudo isso? Só os taninos e acidez de um Malbec mesmo!

Fraldinha e maminha: fibrosa e macia, porém sem muita gordura, a fraldinha é uma carne que não exige tanto corpo de um vinho. Um vinho igualmente macio, fácil e com taninos redondos? Hum... Merlot!

Cupim: com muito marmoreio, que é aquela gordura entremeada na peça, o cupim não é uma carne que pode-se dizer suculenta. É macia, sim, mas pode ser um pouco seca. Um Espumante Brut ajudaria - e muito - a descer! O perlage encheria a boca e supriria a falta de líquido da carne!

Costela: de tão gordurosa e macia, a costela parece derreter na boca. Quando preparada com molho barbecue, ganha notas de especiarias e certa "picância", o que aumenta o seu potencial para vinhos de médio corpo com notas de especiarias. Um Syrah seria ideal!

Alcatra: super fibrosa, macia e sem tanta gordura, como a picanha, a alcatra acompanha muito bem um vinho de corpo médio, boa acidez e estrutura. Que tal um Barbera?

Contrafilé: ponta, bife ancho, bife de chourizo (ou angosto) e bisteca (ou chuleta) são pedaços diferentes do contrafilé - apesar de apresentarem algumas especificidades, de maneira geral, são carnes fibrosas e suculentas. Tão perfeitas para um Tannat, que é quase como se pedissem por seus taninos!

Frango: carnes brancas leves, mas com um pouco de gordura, pedem vinhos aromáticos e com acidez equilibrada. Pensamos num Sauvignon Blanc. Que tal? Por ter mais gordura, a sobrecoxa e o coraçãozinho de frango precisam de um vinho mais leve, com um pouco mais de mineralidade e acidez gostosa. Um rosé de Provença vai super bem!

Linguiça: em seu ponto ideal, a linguiça é super suculenta e tem certa gordura. Que tal um amigável Espumante RoséBrut? Se a opção for linguiça apimentada, escolha um Riesling.

Costela de porco: com sabor mais acentuado que a costela de boi, a suína chega até a ter algumas notas de especiarias.

Pensou num Shiraz ou num tinto do Rhône? Nós também! Corpo médio, boa acidez e ainda notas de pimentas.

Peixes grelhados: para peixes, por exemplo, como o pescado e namorado, que são leves e delicados, o ideal seria acompanhar um vinho aromático, fresco e rico em acidez. Pode ser um Gewürztraminer ou PoullyFumé, como é chamado o Sauvingon Blanc na França, onde ganha um toque defumado. Já peixes mais gordurosos, como o salmão, vão super bem com um branco encorpado, como um Chardonnay, mas também seguram um tinto leve, como um PinotNoir.

Carnes na brasa: vinho na taça e bom final de semana!

Fonte: Gustavo Jazra
 

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados