Guaxupé, sexta-feira, 16 de novembro de 2018
Você está em: Acontece / Artigos / Generosidade
terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Generosidade

“De nada valerão os conselhos bem-intencionados do mundo se não atacarmos o verdadeiro problema. E nunca chegaremos ao problema se estivermos tão presos à nossa autobiografia que não conseguimos ver o mundo sob outra perspectiva.”
Stephen R. Covey
 
Qual é o verdadeiro problema?

Com razão, aponta o Evangelho: pecamos gravemente quando satisfazemos de modo desequilibrado nossos impulsos egoístas.
Ganância e avareza não combinam com compaixão e generosidade.

Ande pelas ruas e rapidamente você poderá ver gente passando fome, andarilhos falando sozinhos, enlouquecendo; crianças chorando e sofrendo maus tratos, cãezinhos magrinhos, doentes e famintos... E bem próximo, às vezes bem ao lado, também poderás ver gente muito rica passeando, peito estufado, nariz empinado, olhos soberbos, sorrindo, debochando, “se achando”...
Mas é o mesmo Evangelho que diz que sempre existirão pobres entre nós! E diz também que maldosos e bondosos somente serão separados com a vinda definitiva do Senhor, instalando de modo soberano e eterno o seu Reino.

Muitos olham para os pobres e pensam coisas variadas: “Ah, deixa pra lá! Fazer o quê? Levar pra minha casa não vou!”; “Ih, deve ser vagabundo, pinguço, drogado. Por isso fica aí perambulando pelas ruas. Bem feito.”; “Deve estar pagando pelos erros horríveis que cometeu na encarnação passada.” E por aí vai... As tentativas de explicar ou justificar não se acabam.

São poucas as pessoas que possuem consciência crítica da realidade, e sabem que o mundo em que vivemos não é formado somente por indivíduos maravilhosos. Existem pessoas portadoras de perversidades espantosas também! Gente que nutre um sistema político, econômico, social e religioso desumano, cruel, excludente, injusto. Gente que sabe da desigual e desumana distribuição de renda. Gente que sabe da existência dos psicopatas que desviam verbas para a realização de sonhos particulares – criminosos esses que não sentem a menor compaixão, nem peso de consciência, nem culpa por deixar milhares de pessoas sem alimento, saneamento, transporte, educação, trabalho, moradia... Gente que gasta bilhões com porcarias, enquanto bilhões de pessoas ao redor do planeta passam por todas as privações pensadas e inimagináveis!

Anjos e demônios povoam nossas mentes e nossos corações.

A quem estamos nutrindo? Quais deles nós alimentamos diariamente? Quando é que as pessoas vão abandonar essa bizarrice tediosa de sempre, verificada em todas as festividades de todos os finais de ano, em que todo mundo deseja a todos um monte de coisas bacanas, mas já no primeiro dia do ano novo, os egos inflados pelos delírios megalomaníacos retomam seus caminhos exclusivistas e assoberbados? Quando é que de fato poderemos contemplar a generosidade que pode se tornar presente e crescente, por meio de gestos que cooperam com a instalação decisiva do Reino da Paz?

O que já podemos fazer para de fato iniciarmos a tão sonhada transformação?

Comece por você! Inicie já uma doce revolução de aperfeiçoamento pessoal dentro do seu coração e da sua mente... Renove a sua alma!

Depois passe adiante, espalhando para a sua família, motivando cada um dos seus a se tornar um soldadinho do bem, um promotor da alegria e da justiça, um discípulo da verdade!

Vamos dar essa nova chance a humanidade!
 
 
 
 

Comente, compartilhe!

© Copyright 2014 - Todos os direitos reservados